Translate

06 março, 2016

Proletárias

Lavadeiras, passadeiras, quituteiras 
empregadas, faxineiras, camareiras 
operárias, arrumadeiras, merendeiras
lavradoras, catadoras, cozinheiras 
garis e costureiras. 

Mulheres da periferia, do campo e do sertão
mulheres oprimidas pelo patrão 
exploradas muitas vezes por um prato de feijão 
que não mata a fome, 
que não muda a situação
é sempre o mesmo cenário do pobre 
e não tem perdão 
o burguês pisa, o capitalismo engorda 
e a gente continua a viver 
em plena escravidão. 

04 março, 2016

Ô nega do cabelo duro

Cabelo afro
cabelo aço sim
cabelo forte
tipo Angela Davis
Negra Lee
nada de Rita Lee.

Cabelo da favela
da senzala, do gueto
cabelo da história do Brasil.

Não alise
mostre qual é o pente
que te penteia
deixe armado
que cabelo é arma
é resistência
não tem nada de errado
o único erro é o racismo
e o fascismo arraigados
e pra essa face do preconceito
a gente mostra os dentes
e combate de frente
sem ter medo do oponente.

Do verbo

Catou, cantei, alegrou
anotou, arrisquei, declamou
passou, pensei, desejou
telefonou, brinquei, marcou.

Flor na mente, semente que brota

Acordei em planta
deu amarela
girassol querendo sol.

Deu vontade de botar a mão na terra
cavucar, guardar sementes, germinar
esticar as pernas no chão marrom
olhar joaninhas, borboletas, passarinhos
formigas carregando folhas para algum lugar
quis plantar uma árvore, um pessegueiro
com maria sem vergonha em volta
e roseiras pra companhia.

Na porta de casa girassóis
em todos os cômodos flores
moro no jardim do meu pensamento.
Cuidado é tão gentil
esse lado a lado
esse respeito
que a gente sente
só de olhar.