Translate

22 dezembro, 2015

Desacertos

Me completo de imperfeições
eu, ser errante
cheio de lacunas
de falhas constantes
eu, ser inconstante que sou
eu e os meus defeitos
quase que perfeitos
requintes de erros
destroços na alma
eu nem sempre tenho calma
se não for agora
não tem outra hora
bem feito comi cru
um prato feito
que quase todos comem
isso é tão comum
e assim eu me olho
no que posso eu mudo
e de tudo escrevo
no que não posso
fico muda, calo
ou muito falo
mas só com o tempo
reparo
e olhe lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário