Translate

29 setembro, 2015

A moça do metrô

Pele cor de ouro velho
olhos como duas luas cheias
da íris do quase mel
feito da sombra da mãe Terra
num esplendoroso eclipse lunar
já se concentrado na retina
num fino eclipse solar
cabelo solto abaixo do ombro
escuros dos cachos armados
boca da carne que salta
da cor de lama avermelhada
num batom levemente rosa que esvai
pescoço do vaso de barro
a vestir colar comprido de uma pérola só
em suas mãos unhas de céu noturno
no dedo indicador um anel hindu
no anelar um maia
camisa de estampa clara
cheia de flores serenas
mais um jeans desbotado
e dois pés pelados.



28 setembro, 2015

Queimadura

Quis negociar o afeto
colocou o poder no lugar
perdeu o foco
tudo virou fogo
e o amor uma casca.

24 setembro, 2015

Ah... meu amor
se tu visses as manchas da lua
mas você não vê
nem as pinturas da sua rua.

"Mitos que não minto"

Tu sabes
eu vou te chamar
pra ver o mar
e ouvir o canto da mulher
e ver os passos que ela dá
e depois por curiosidade
iremos a Marte
mas não queira viver lá
fazer casa naquele lugar
porque se quiseres
para não nos matarmos
eu vou me fazer de covarde
não quero travar um combate
e se ainda assim quiseres ficar
chamo o seu Dionísio para te buscar
bêbado acordarás em Vênus
e quero ver você querer voltar.

12 setembro, 2015

Tirei um peso das costas
e uma pedra do peito
uma pedra que hoje está oca
mas que ontem esteve cheia.

Voar como é bom
mas o meu voo era tão baixo
como se eu estivesse acorrentada
ou com a asa quebrada.

Mas a asa sarou
ou eu achei a chave
para voar alto
para ficar em liberdade.



26 anos e meio

A escolha não era dele, era dela e sempre foi assim. Não sabia tomar decisões, refletir, porque alguém fazia isso por ele. De um lado a bajulação e doutro a manipulação. Participar deste grupo é me aniquilar e eu não posso, pois desde pequena bati o pé para poder vivenciar as minhas experiências e quantos confrontos dentro de casa por conta disto, era uma adolescente aprendendo, queria viver para o mundo, escutei conselhos sim e por que não? Aprendi muito com os outros e sou grata por isso (ainda aprendo), mas aprendi muito me ouvindo também, fazendo as minhas escolhas, ainda que elas fossem me despedaçar no dia seguinte.

Mas me parece que alguém dita a profissão que você deve seguir, aquilo que você deve usar, as companhias que deve ter, o quanto você deve ganhar para poder ter um relacionamento sério, diz até se você deve ou não sair de casa, decide sobre os seus passeios, sobre as suas namoradas e sobre quem ela aceita ou não, por isso me sentia a professora do pré primário, em que a mãe vem fazer uma reclamação sobre não terem dado almoço para o seu filho. Acho até descabido quando acompanho certos pensamentos que essa senhora faz sobre o feminismo e a luta contra o machismo, quando ela mesma procura uma nora que se submeta ao filho dela e a todos os caprichos que ela fez e faz para que o seu bebê não sapateie e não fique emburrado. 

Que pena, porque eu gosto de você e não é pouco, mas eu também gosto de mim, jamais quero que trave uma guerra com aquela que te trouxe ao mundo, no entanto, que saia deste mundo placentário e aprenda a sentir você, os seus limites, a escolha dos seus alimentos, enfim, os seus verdadeiros desejos. De repente estou enganada, mas talvez o seu maior confronto seja esse "equivocado conforto".

A gente só aprende a andar caindo, imagine se sempre nos segurassem?! e nesse cair e levantar enxergamos alguns caminhos que queremos seguir, e assim, passamos a nos descobrir através de nossas opções e não do que escolhem por nós. 


06 setembro, 2015

O que mais além de revolucionários ou grandes líderes? O que mais fora política?

Enquanto comentava sobre os grande líderes comunistas, eu escutava, pesquisava algumas coisas sobre, tinha contato com certas obras - obviamente que numa frequência muito menor, até porque eu também gosto de outras coisas - e o primeiro pensamento que me vinha sobre esses líderes é se eles eram poetas, pintores, músicos e qualquer outra coisa que fica despercebida. A figura deles é algo forte, autoritária, no entanto, o que existe além disso? 

O guerrilheiro Ernesto Che Guevara além de tocar instrumentos musicais escrevia poesias de esquentar o coração, mas não só ele como os que antecedem a ele. Poemas do cárcere do grande revolucionário Ho Chi Minh são simplesmente fantásticos, alguns deles me trazem o sentimento de paz, os momentos que descreverá não só dentro do cárcere, no entanto, a maneira como enxergava a natureza, os animais, as flores. Mao Tsé Tung também era poeta, e em algumas de suas poesias traços da natureza, em outras, a história da Revolução Chinesa. 

E Marx? O que eram aquelas cartas para Jenny? Muito melhores do que as cartas que Fernando Pessoa escreveu para Ophélia, acho que até entendo o porque dele dizer que as cartas de amor são ridículas, pois não seriam cartas de amor se não fosse ridículas, e embora, eu adore o Pessoa, aquelas cartas eram realmente ridículas de puro leite condensado que até causava tédio, mais me parecia uma xícara de café com 1kg de açúcar, contudo, as cartas de Marx para Jenny soavam numa dosagem certa e um romance, um amor que em palavras não é possível explicar, tanto que ele afundou após a morte de sua amada. Marx como pai brincava de teatro e de tantas outras coisas com as  suas filhas no parque, portanto, não era só política e só o Manifesto comunista. 

Nessa história de poesia se meteu até o Engels e Stálin, porque eles  também escreviam, embora, o Josef Stálin  tenha sido acusado de assassinar alguns poetas, informação que eu não sei se procede, a única que tenho conhecimento é  de um poeta que ele mandou matar por ter comparado seus bigodes com uma barata. 

Já de Lênin eu não conheço nenhuma poesia, contudo, grande poetas escreveram sobre ele, como Maiakóvski, Brecht e Neruda, fora vários pintores que retrataram a sua pessoa em inúmeros quadros. 




A obsessão aliena

Falou sobre a ressocialização dos presos na Rússia comunista, de como a arte é transformadora e de como eles fizeram uso dela, mas quem falava não tinha noção do que dizia, apenas repetia o que havia lido no livro ou o que havia escutado de um amigo, porque eu mal conseguia falar de arte ou de qualquer outra coisa que não fosse o mesmo assunto: comunismo, política e proletariado armado, um assunto que se tornou obsessão, não se aprendia de forma saudável e consequentemente não poderia ser explicado ou passado de uma maneira que não fosse doentia, é uma espécie de intelecto enjaulado ou prejudicado. Ele estava doente, precisava se ressocializar urgentemente. 

"Fez casa aqui"

A poesia me picou
deixou uma ferida
fez uma cura.

A poesia me tomou
rapidamente com sede
feito água numa garganta seca
e levemente degustou
feito vinho que se aprecia.

Eu não sei mais o que faço
ela incorpora
se apoderá
eu digo cale-se
e ela grita para sair
sapateia se preciso
quer falar de qualquer jeito
já não sei quem é que fala
já não sei quem têm as rédias.

Me aparece no trabalho
na sala de aula
no cinema
nos trajetos que faço
e como pode aparecer
quando quer?
na hora que quer?
quem ela pensa que é?

A poesia me escolheu
e nem perguntou se eu queria
ela disse estou aí
e não adianta você fugir.


01 setembro, 2015

Crisálida

Nos esforcemos para a transformação
da larva em borboleta
a metamorfose requer tempo
e principalmente a "reflexão dos atos"
já a alienação o que causa
é a transformação do homem
em um inseto grotesco.


Palavras-chave: Kafka, alienação,barata, larva, lagarto e borboleta.