Translate

14 setembro, 2014

É a Lourdes

Cantava daqui 
de lá, 
qualquer tempo indefinido, 
cantando para os males espantar. 

Saudades da mãe, 
saudades da terra
de seu povo do Maranhão, 
música brega, ela dizia:

- A música brega vive em meu coração!

A vida maltratava na mão
e nos vários dentes que lhe faltavam por falta de tostão, 
mas mesmo assim o sorriso dela por ser puro
invejaria aquele que só sabe esticar a boca no horizonte para  mostrar os dentes
brancos e sempre insatisfeitos. 

Não era só canção, 
era poesia, 
seus poemas em um caderno perdido
no entanto todos guardados na memória, 
e eu que mal guardo um verso meu, 
fui pequena perto da semianalfabeta e faxineira que ela diz ser. 


Essa mulher me coça o peito,
inevitável não escrever, 
são as histórias de outros que completam a minha história,
isso me faz crescer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário