Translate

27 julho, 2014

"CONSUMISTA SIM"

Às vezes acordo querendo vestir alguma coisa da Clarice, não!!...não é uma camiseta estampada com o rosto dela, é algum texto que me vista bem, algo que eu experimente de novo ou de repetido e perceba que me caiu muito bem. Perfeito mesmo é vestir Fernando, nossa...ele contorna muito bem o meu corpo, é um vestido impecável, me olho no espelho e me sinto ma-ra-vi-lho-sa!!!

Mas têm umas peças de roupa que eu experimento e tenho vontade de dar logo de cara, umas de processo civil em que você precisa ficar decorando - vou te falar: "fica tão mal vestido em mim", me olho e me sinto um ser alienado, essa coisa de decorar não é comigo, não vai, fica feio em mim, tenho vários amigos que acham uma vestimenta fantástica, no entanto, eu de-tes-to. Eu gosto mesmo dos trajes que questionam. Os sapatos são os melhores, eu adoro aqueles de filosofia jurídica, se bem que, o estilista deste ano é uma merda, só fala de salto fino 15 da teoria do utilitarismo, porém, sobre sapatilhas do Direito na Idade Antiga e Média, ele não quer costurar, acha muito chato, desimportante, "fora de moda", o negócio dele é o Sandel, o problema é que eu não gosto de salto alto, na verdade nem é bem isso, a questão é que para saber andar de salto, tem que saber andar primeiro. Entende?! 

Eu abro o meu guarda-roupa e não consigo doar quase nada, eu empresto com muito ciúmes - é claro, até pode rabiscar nas minhas vestes, eu não ligo, só não pode perdê-las, e nem emprestá-las sem minha autorização, sim, para algumas coisas eu sou rigorosa, fazer o quê?! preciso saber se o que é meu será bem cuidado, se está em boas mãos, pois já teve quem emprestei e me devolveu todo sujo de café, não adiantou botar na máquina, e não tinha produto ou alvejante que tirasse a mancha, e eu também não queria outra peça, eu queria sim a minha, a que eu comprei ou a que ganhei. Tem todo um ritual, um momento especial, não é assim: ver no mannequin e comprar porque estragou. 

Ainda ontem estava arrumando minha gaveta de pijama e me dei falta do Drummond, não sei para quem emprestei o Claro Enigma, e a Rosa do Povo e O Corpo eu não queria colocar, estava muito frio - está. Acabei pondo uma blusa velha que tenho e adoro: O avesso das coisas, mas como ela é curta demais tive que jogar outra por cima, peguei O Magma de Guimarães, meus braços ficaram quentinhos, braços aquecidos por poesias. 

- E a calça? coloquei duas!! uma do Quintana, porque aquece até a alma, contudo como sou friorenta e jogo todo o cobertor no chão, resolvi colocar mais uma, então, peguei o Fernando Sabino, que por pura ironia era o "Aqui estamos todos nus". Cai na gargalhada, mas o que importa é não passar frio ainda que desta forma, mesmo porque a reflexão me aquecia, aquece.

Bem...como os meus pés, mãos e nariz estão sempre congelando, pensei em colocar meias e luvas importadas, não que elas sejam as melhoras, se bem que algumas são, no entanto, porque são quentes, me emocionam até o último fio do cabelo, mas o coração é só do Fernando Pessoa, enfim, voltando aos outros importados e ao último fio de cabelo, o Maiakovski é extraordinário, uma meia grossa que só, lã boa, super recomendo, se estiver com ela você pode até colocar o pé no gelo que mesmo assim não sente nada, não sei o que acontece, e quanto às luvas: na mão direita coloquei o Kafka e na esquerda o intenso Dostoiévski!!

Por fim, precisava também de um cachecol, como disse, ontem à noite estava extremamente frio, foi necessário me agasalhar bem, assim, passei o Rubem Alves no pescoço, tenho 19 cachecóis dele, e o que mais gosto é o primeiro, o mais antigo, coitado já está velhinho e todo amarelado, é o "Ostra feliz não faz pérola", esquenta pra caramba, e foi um cachecol barato, porém, o melhor que tenho, o melhor de todos. A touca, coloquei Adélia Prado, só para combinar com o Rubem, não é a melhor touca que tenho, entretanto, gosto dela. 

Hoje se der tempo vou ao shopping, melhor: ao brechó, pois no shopping é muito mais caro, e eu nunca consigo comprar uma peça só, e como tenho umas gavetas ainda sobrando espaço e umas roupas que sei que vão me cair bem, eu vou lá, e quem sabe eu não traga uns três pares de sapatos da Clarice?!! eles ficam divinos no meu pé, diferentemente da Melissa, não gosto de coisas de plástico, gosto de conteúdo. Ahh...e como eu não me aguento, vou comprar mais um batom do Fernando Pessoa, desta vez não quero o discreto, quero o vermelho chamativo, e também um perfume do Machado, um de fragrância amadeirada que eu ainda não tenho, e o esmalte?? - Saramago ou Brecht? ...



Nenhum comentário:

Postar um comentário