Translate

04 maio, 2014

Da pureza do ser

Alguém com deficiência mental nos fazendo pensar, porque no fundo somos mais deficientes do que ela, nos emperiquitamos de tantas coisas e esquecemos da essência.

"Uma moça de vinte anos com uma certa dificuldade pra falar 
que demora pra pensar e com um coração imenso, 
coração de cores da pureza de uma criança". 

Ana é uma atendente divertida e gentil 
de um sorriso que nunca vi. 
E conversa com os clientes, e anda pela loja não perguntando se pode ajudar, mas ajudando.

Se eu quero o papel contact de uma cor, ela me mostra o que eu quero e também uma outra cor, se só uma; se estampado; se de bolinhas e; se apagado. Gostei foi de suas opiniões, embora não tivesse ficado com nenhuma, e tem gente que prefere robô, porque é mais rápido e porque no fundo não diz nada. Gente que não gosta de gente, não é gente. 

E foi na fila do caixa com mais outras duas atendentes que Ana nos questionou:

- O que um é relacionamento sério?

(Não poderia perder isto de alguém tão inocente)

Umas das atendentes perguntou o por que dela querer saber, e Ana respondeu que apenas queria saber. Mas a gente sabe que no fundo não se quer saber à toa, curiosidade é algo que nos move. 

Angela, colega de trabalho de Ana, disse que a moça poderia perguntar tudo, porque é experiente sobre o assunto, e a menina mais uma vez questionou:

- O que é relacionamento sério, namoro sério?

- Ana, você tem namorado?
- Sim, tenho. 
- Mas é sério o relacionamento?
- É ( abriu um sorriso largo e gostoso).

Uma das atendentes do caixa me confessará que o moço também tinha deficiência e que as famílias sabiam da relação deles. 

Eu não poderia só assistir, obviamente que não, não me aguentaria, tinha que perguntar:

- Mas qual é sua dúvida Ana?
- Ah...eu quero saber o que os outros pensam.
- Você já namorou?
- Sim, Ana. Algumas vezes. 
- E era sério?
- Sim!
- Então, o que é isto?
- Mas você não namora sério?
- Sim!
- ...então!
- É que eu quero entender como agir.
- Ah...acho que agora estou entendendo, Ana.


...

Angela chamou um colega de trabalho, pediu para que ficasse ao lado de Ana, depois disse:

- Ana, pegue a mão dele!

A moça espantada disse:

- Pegar a mão dele?
- Sim, a mão dele, você não pega na mão de seu namorado?
- Não, eu não sei como pegar! ( abaixou o olhar envergonhada )
- É assim, olhe!!!
- Assim???
- Isso, mas passe os dedos.
- E agora???
- É, mais ou menos!
- E agora?
- Melhorou!!!

(A menina novamente abriu um sorriso lindo)

 Resolvi perguntar:

- Ana, sinceramente, não vale mentir:
- Você gosta dele?
- Gosto !!! ( suas bochechas ficaram coradas)
- Muito?
- Claro que sim!!
- E ele, gosta de você?
- Bastante!!
- Ah, então pronto!
- Mas, eu nem sei como me comportar com ele, acho que não sei ser namorada, nós não sabemos namorar sabe?!

- Ana, o beijo, as mãos entrelaçadas, e qualquer outra coisa que faça entender que seja uma relação séria ou não, isto são somente detalhes perto do sentimento, entende?

- Mais ou menos, eu queria ser como os outros casais!
- Nem todos os casais que você vê por ai, se gostam. E tem mais menina: esse "tocar" que você quer aprender, não se preocupe, aprenderá com o tempo, cada um tem seu jeito, sua forma de se tocar, de ser. 

- Ah...acho que eu e o Paulo ...., nós nos tocamos nos olhos e quando também damos risadas, e nós sonhamos um com o outro, porque ele já me contou.

- Poxa, que bommm Ana, nem todos experimentam isto. 

- É...mas, eu acho que ele tá esperando outra coisa de mim! ( uma expressão de dúvida ficou)

- Será? Olhe, eu acho que tudo que ele espera de você, ele já tem, as outras coisas, sabe "as outras" coisas, virão com o tempo. 

- Virão mesmo?!

- Claro que sim. 

- Mas quando?

- Vocês saberão!

- É...( deixou uma risada baixa no canto da boca)
- Hoje vou vê-lo, ele virá na minha casa.

- Que legal!!!!


- Adoro conversar com ele, e também vemos filme. 

- Isso e muito bom, Ana!

- Eu quero dizer que amo ele, mas não sei como dizer.

- Oras...existem várias formas de se expressar ou falar!

- É...mas eu ainda não disse nenhuma?

- Como assim?

- É...nunca disse!

- Ana, às vezes a gente diz sem dizer, a gente faz. Por exemplo, no olhar, na conversa, e tantas outros gestos a mais.


- Ahhh...então, nós dizemos todos os dias, porque eu sempre converso com ele por telefone. 

- Muito bomm, Ana!

- Bem, agora tenho que ir,mas outro dia e volto  e daí você nos conta mais, tudo bem?!

- Legal, claro que conto simmm, de repente até lá já peguei na mão dele!!!!! ( outra risada linda apareceu)

- É...pode ser, Ana!!!

- Vamos aguardar, né??!

-(risos)...vamos!!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário