Translate

31 maio, 2014

Sua Maldita!!!

Eu já falei pra'quela atrevida parar de me encher, toda hora fica no meu pé, que grude, não tem o que fazer?! Sabe, é complicado, ela poderia encher o saco de outra pessoa, de alguém com tempo ocioso, mas não, a tarada fica aqui me atormentando a paciência, já tô de saco cheio, vai chegar um dia que isto irá estourar, não tá dando mais pra aguentar, agora me vigia a todo instante, acredita?
Ah...não, vai se ferra, não tenho trégua mais, perdi minha paz. Aliás, ela tá com ciúmes até dos meus estudos, como é possível? - Que absurdo!!
Eu já falei que estou em época de prova, caramba, eu já ameacei terminar a relação, mas aquela cachorra não sai do meu pé, parece sarna. É no ônibus, na rua, em casa, na faculdade, tomando banho, se arrumando, estudando, e essa maluca quer a todo custo que eu faça sempre os caprichos dela, não dá, tô cansada disto, será que a carente  não compreende que o meu amor e os meus objetivos não se resumem somente nela?? Eu acho que não, ela deve ser uma doente mesmo e das piores, porque isto não é amor, é obsessão, eu não a escolhi, ela me escolheu, no começo era mil maravilhas, mas agora??? 

Tudo ela quer que eu registre, tudo ela quer que eu escreva, me liga umas cem vez por dia na mente, só pra dizer: escreva, veja, olhe isso daqui !!Pô escrita, dá um tempo, se toca, eu não sou sua marionete. 

29 maio, 2014

O Amante do Bukowski - Parte III


Ele coloca Cícero pra tocar,
tentando apaziguar o que se bate contra o concreto.

Às vezes quando menos triste, canta Smiths,
Hand in glove!

Ele não sabe dizer,
eu interpreto os textos que o amante escreve.

Quase sempre depressivos.
Quase sempre angustiantes.
Sempre tem uma mulher no meio com a palavra
foder - minto, quase sempre.

Procuro o amor e não vejo.
Encontro fuga,
encontro medo.

Não consigo como os outros
dizer: "- Poxa, que lindo!!"

O rapaz escreve bem, muito, mas
não é bonito.
Escancarado ele grita:
- Gente estou perdido.

Viaja para habitar paisagens nas quais
ele
não vive,
se fez sombra nas fotografias.

Não sou do contra, só não apoio o suicídio
como remédio.

No fundo o que ele quer é um laço seguro,
que não o aperte,
que apenas o segure,
e...é preciso entender que antes do laço está o nó,
e que nada disso é fácil,
e que a vida também se preenche de conflitos
e questões que nos fazem melhorar.

É preciso investigar,
assim como se investiga uma doença
para curá-la,
assim como insistir em limpar o machucado
para cicatrizá-lo.

28 maio, 2014

Constelação de Scorpius

No hemisfério sul celestial
os cúmulos estrelares ficam a encantar.

Nebulosas são poeiras cósmicas
com gazes que se fazem visíveis
em temperaturas de alto nível
que espalham a vibração
e desenham a borboleta para o escorpião.

E foram os gregos que vestiram este altar
Ptolomeu em sua obra soube bem o que citar.

Falo do animal que chamam de inimigo
e não percebem que suas cores vem nos contemplar.

São outras imagens que formam um grande corpo
são tantos astros que cedem luz pelo espaço
constroem jardins pelo caminho
cedem energia para o vizinho.

E no coração dele - uma gigante vermelha.

- Pulsa Antares!

Deixe Marte ver
que em teu peito
não vive a guerra
mas somente a beleza.

27 maio, 2014

Deficiente?

Olhos saudáveis e ineficientes
Braços que se movem e que
não se movem por não estarem doentes.

E estas pernas não mecânicas
quanta carne apodrecendo
numa cadeira que não é de rodas.

Vendo a vida por um ângulo
ou numa tela.
Criando gaiolas para colecionar
asas e bicos.

Esta tua bengala invisível um dia destes
infelizmente vai quebrar os teus dois joelhos,
e eu já te disse que seus tímpanos não estouraram
então, não crie casos.


Auxiliares de limpeza e a sétima sinfonia com literatura

Francisca limpa o chão que ela pisa,
que eu piso,
chão de nosso trabalho.

Lourdes limpa a privada que ela usa,
que eu uso,
são os vasos sanitários da universidade.

Francisca fala de Clarice,
gosta do Machado,
e tem sempre um livro em mãos
feito cajado.

Na juventude escrevia poesia
disse que teve a vida sofrida
mas que os versos
sempre lhe trouxeram alegria.

E dona Chica
diz que o dinheiro é curto
mas não perde um teatro
pois peça gratuita tem lá no Céu
e ela assiste sempre com o seu
querido marido Dirceu.

Quando me encontra
atrás de um galpão
Francisca traz a cena do palco
em seu olhar
e rapidamente compreendo
que o cenário real de Chica
deveria ser em outro lugar.

Já a senhora Lourdes
canta em qualquer banheiro.
Dia destes estava eu
concentrada na urina
e de repente alguém entra
cantando Elis Regina.

E como tenho a curiosidade feito heroína
quis logo saber o que mais aquela pessoa cantava
fazendo faxina.

-Ah minha fia, aqui é Tim Maia, Rita Lee, reggae, forro,
e digo ainda mais prucê que qualquer coisa eu canto e danço,
porque é feito terapia que afasta a tristeza da vista da gente.

- Mas do que você gosta mais?

- Ah...eu gosto mesmo é do Beethoven!!!

- Então a senhora curte música clássica?

( meus olhos brilharam e o sorriso dela alargou)

- Opá ...é minha preferida, moça!!!

24 maio, 2014

- Silêncio!!!


No fundo do mar ninguém fala, a gente escuta, a gente é mudo, a gente aprende.

Fiquei um tempo no fundo do mar pra escutar o que não ouvia, tive que calar.

Vi peixes, tubarões, anêmonas...
Uns amigos, outros inimigos e outros camaleões.
Tudo refletido em mim,
olhei pra dentro e vi
olhei pra fora e vi também,
- me vi!

E não se fala, não se fala, não se fala...a gente só escuta, vem a correnteza - um golpe nos leva, a maré sobe, a maré baixa, cardumes aparecem, baleias abrem a boca e a gente observa.

Subimos,
na superfície retiramos o oxigênio pelas brânquias
e depois descemos
bem lá no fundo
onde o azul é negro
onde tem bicho e não vejo nada
e também sou bicho
trocando de mudas.

Passar o tempo
não é passatempo
passei pra ouvir o que não ouvia
pra me conhecer
olhar praquilo e compreender
leva-se tempo para amadurecer
tempo pra deixar o som entrar e se transformar em você
ou deixar ele sair e ecoar
porque geralmente ele escapa e ficamos sem entender.

Escapa porque a gente fala demais.
Escapa porque a gente não vê nem peixe e nenhum outro ser que ali esteja.
E escapa principalmente porque nem conseguimos nos perceber.

Na água só escuto e vejo,
reflito,
reflexão.


OSTRA FELIZ NÃO FAZ PÉROLA

Pergunta pro poeta
se o que ele sente é uma reta
ele não diz porque escreve
ele sente e por isso escreve
toda aquela maravilha por qual se apaixona o leitor
poesias que se colocam em cartas de amor
que se recitam
que compartilham.

Mas quase ninguém sabe
o que se passa no peito do autor.

Pro leitor muitas vezes é colorido
é estação de verão voltando para a primavera
no entanto,
às vezes pro poeta é sempre cinza
é sempre frio.

É um doce que se fez do amargo.
É o coração da ostra cheio de magoa
que se fez pérola
e a madame nem sabe que aquele colar tão caro
e cobiçado
é o fruto dos grãos de dor.

Ostras liberam substâncias
agrupam partículas que incomodam
que machucam
poetas não são diferentes.

23 maio, 2014

Brás, Pari e Moóca

Bolivianos 
quantos mangos vós pagam 
para costurarem tantas mangas?

Quantos mangos vós pagam por essas marcas?
quantos anos têm vossos filhos 
que já de tão cedo 
aprendem o ensino 
de prenderem-se em oficinas?

Foi a Zara.
A Marisa. 
A C&A.
A M.OFFICER.
- Foi o senhor K?

***

As máquinas funcionam a "todo vapor" 
sugam o exausto suor 
passam das 23:00 horas e nossos hermanos estão lá 
e depois de tanto trabalho 
o corpo pede água 
pede descanso 
mas o que ele recebe 
é um banho de água fria
para não gerar custos
e o desprezo de outro homem
que fez dele o seu escravo.




18 maio, 2014

No palco da República e fora deste mundo

Ele toca pra uma divindade ou alguma divindade toca nele
são notas, são cifras, um conjunto mais além
que não sei explicar o que sinto
parece que saio daqui
que não sou daqui
que não estou aqui
me faz escrever.

Talento que traz flores aos ouvidos
que diz tudo sem nenhuma palavra
talento este que não tenho em minha essência
meus dedos não se comunicam deste jeito.

E vejo Deus, e vejo Deuses ou qualquer outra interpretação que se queira fazer,
para manifestações que ultrapassam a superfície terrestre, porque me fazem ultrapassar.

Parece que visito constelações - eu não sei, mas tamanho brilho, só pode ser o diamante mais raro do céu.


Balanço do mar

Com o tempo tantas coisas passam
Com o tempo tantas outras coisas são
O que era belo já não tem mais graça
E o sincero foi jogado as traças.

Então a cena já não é a mesma
E as pessoas entram, ficam e vão
E a gente se compõe de espaços
Entre mudanças e recordações.

E quando o sino bate eu sei que é hora
A roda vem e muda toda a história
Gira, gira, gira a cada aurora
Faz que vai-se embora
Porém não vive o agora
Pra que vejamos que é ventilador
De apertar o botão e retirar o calor
De apertar o botão mas não retalhar a dor.

E os dias ficam desta forma
A gente ri mas também um tanto chora
É feito onda que vive na memória
Você dorme e sente ela passar
E depois que acorda
Vê que está em outro lugar.

Porque te amo


Fotos que não revelam conteúdo
São só fotos no espelho do banheiro
Um sorriso
Um rosto que chame atenção
Corpo de uma criança de quase 22 anos
Que ainda acha que só amor doente enche a barriga
Amor que se destrói todos os dias
Por brigas tão banais.

Eu bem que digo pra você viver a vida
Fazer dela sua companheira
Bem que digo pra pensar em tantas coisas
que te rondam a cabeça
que te pedem:
- Cara, me veja!

E o teu dom fica de canto
Por uma cegueira passageira
Cegueira de adolescente
Que resume tudo a uma só coisa
E não vê o resto - o todo.

Homem, coma a vida
Antes que ela te devore
Que ela passe sem você ter percebido
Sem você se dar a chance de conhecer-te em outras partes.

Ferramentas fundamentais

Aprende-se mais em pequenos detalhes,
numa certa fala;
numa certa apresentação; 
naqueles livros em que você adotou sem serem parte da grade curricular; 
no gesto; 
em poucas palavras que não se dizem em cinco anos de curso;
no debate; 
na proposta;
do ser do contra, por não fazer sentido e não somente por ser do contra;
são nos por quês;
é no não aceitar;
está na filosofia;
no que vejo vestido na sociedade;
coisas que contratos não dizem, não traduzem;
ser aluno regular por não se propor a decorar;
é o que não concordo na Constituição, o que não encontro;
é da piada que fazem com a nossa cara, com a nossa casa, nossa Nação, e;
é da partilha pra lá de desajustada.

Aprende-se mais antes de arrombar uma porta, ou de virar às costas, 
aprende-se por tentar compreender os verdadeiros motivos 
e as causas de uma porta emperrada, 
ou de uma porta trancada,
coisas que muitos professores não aprenderam, 
não descobriram ou se esqueceram. 



14 maio, 2014

Quarta-feira


A lua fica cheia 
para ficar nua prateada.
De longe nos guia pela rua 
e nos acompanha na calçada. 

Se olho para cima 
fico sob efeito de hipinose. 

Confesso tudo 
ela consegue penetrar
no meu mundo.


11 maio, 2014

A mãe do uveiro

Ser mãe é ser rosa do uveiro
ela não escolhe, ela é.

Rosa que fica na frente
moça delicada
mas forte
bela e brava.

É ela a dona do território
responsável por outras vidas
doando a sua própria.

A rosa para mostrar que existe perigo
para provar que a praga está vindo
pede socorro adoecendo primeiro
e salvando os seus filhos
filhos não gestados por ela
mas cultivados e protegidos por ela.



Na praça da Sé

Alguém grita Deus!!!
- Qual é o teu nome?
Tem gente esquecida no marco zero.
Tem gente esquisita olhando os esquecidos e achando que os esquecidos é que são os esquisitos.

E o batuque rola solto
e a cigana pede minha mão pra dizer o que eu quero ouvir e o que todos querem.
O velho vende caneta e moleques passam correndo.
A banca de jornal tira foto 3x4.
Um casal deitado na cama de papelão está nas preliminares de uma transa.
O menino pede comida.
A mãe passa com o carrinho de bebê.
Prostitutas olham para os engravatados e os engravatados dão umas piscadas para elas, então, uma delas mostra a língua, poe a mãos no seio e diz vem.
Os caras do boteco observam os policiais.
As PMS primeiro ficam paradas fazendo pose de galã e
depois mais tarde embargam mercadorias de coitados ou então
cobram taxas por conta pra fazerem um meião por fora.
Alguém liga o som e o forró ferve alto
nesta hora nordestinos e paulistanos se misturam mais ainda.
Chega um povo com pinga
bêbados dão risadas e choram
gente que vive em barrada coloca a cabeça pra fora e dá um sorriso
mas a criança diz: - mãe estou com fome!
Um grupo de 20 pessoas passa com faixas protestando.
O homem de chapéu liga o alto-falante pra falar de eleições.
Certo senhor grita Jesus estou aqui e começa a contar parábolas dando socos na bíblia, demonstrando ira, ódio, vingança - não tem amor, tem punição para os irmãos.
Rapazes um pouco mais afastados se olham e se encaram, nisto um libera a grana e o outro o papelote.
E tem o tio vendendo cocadas.
Tem um outro pedindo esmola.
Os engraxates parecem cansados.
Tem muita gente suada e suja deita nas pedras de algumas estátuas.
Os piadistas arrancam gargalhadas, e por alguns instantes dão um chute na pobreza e mostram o seu trabalho, ali todo mundo para, acho que só naquele momento não existe divisão de classes e todo mundo é igual.
Eu olho pra cima
as árvores parecem maiores.
Me despeço daquele cenário real na descida de uma escada rolante.


04 maio, 2014

SUA IDENTIDADE

Faça da vida o melhor
Faça aquilo que gosta 
Que não cala
Que se amostra.

Dançar poesia
Beber um tango 
Escrever um vinho
Cantar na cama
Vestir-se nu.

Tomar um porre de energia 
E um energético de sorriso 
Vibrar com o sol 
E se embelezar com a lua.

Pela manhã descansar na rua
Caminhando descalçado 
No que seja barro
Passar por cima dos portões 
Que tenham cadeados.

Doer e não usar morfina 
Sentir a dor que te impulsiona 
Fazendo todo sentido 
Te deslocando para outro caminho
Em direção da descoberta do eu.

Do que te nutre
Do que você é 
E do que você quer.

Ter um currículo em que você aprove
Em que você decida 
Ser o empregador e o empregado de ti mesmo
E neste ritmo meu camarada 
O grande lucro é a felicidade.

Da pureza do ser

Alguém com deficiência mental nos fazendo pensar, porque no fundo somos mais deficientes do que ela, nos emperiquitamos de tantas coisas e esquecemos da essência.

"Uma moça de vinte anos com uma certa dificuldade pra falar 
que demora pra pensar e com um coração imenso, 
coração de cores da pureza de uma criança". 

Ana é uma atendente divertida e gentil 
de um sorriso que nunca vi. 
E conversa com os clientes, e anda pela loja não perguntando se pode ajudar, mas ajudando.

Se eu quero o papel contact de uma cor, ela me mostra o que eu quero e também uma outra cor, se só uma; se estampado; se de bolinhas e; se apagado. Gostei foi de suas opiniões, embora não tivesse ficado com nenhuma, e tem gente que prefere robô, porque é mais rápido e porque no fundo não diz nada. Gente que não gosta de gente, não é gente. 

E foi na fila do caixa com mais outras duas atendentes que Ana nos questionou:

- O que um é relacionamento sério?

(Não poderia perder isto de alguém tão inocente)

Umas das atendentes perguntou o por que dela querer saber, e Ana respondeu que apenas queria saber. Mas a gente sabe que no fundo não se quer saber à toa, curiosidade é algo que nos move. 

Angela, colega de trabalho de Ana, disse que a moça poderia perguntar tudo, porque é experiente sobre o assunto, e a menina mais uma vez questionou:

- O que é relacionamento sério, namoro sério?

- Ana, você tem namorado?
- Sim, tenho. 
- Mas é sério o relacionamento?
- É ( abriu um sorriso largo e gostoso).

Uma das atendentes do caixa me confessará que o moço também tinha deficiência e que as famílias sabiam da relação deles. 

Eu não poderia só assistir, obviamente que não, não me aguentaria, tinha que perguntar:

- Mas qual é sua dúvida Ana?
- Ah...eu quero saber o que os outros pensam.
- Você já namorou?
- Sim, Ana. Algumas vezes. 
- E era sério?
- Sim!
- Então, o que é isto?
- Mas você não namora sério?
- Sim!
- ...então!
- É que eu quero entender como agir.
- Ah...acho que agora estou entendendo, Ana.


...

Angela chamou um colega de trabalho, pediu para que ficasse ao lado de Ana, depois disse:

- Ana, pegue a mão dele!

A moça espantada disse:

- Pegar a mão dele?
- Sim, a mão dele, você não pega na mão de seu namorado?
- Não, eu não sei como pegar! ( abaixou o olhar envergonhada )
- É assim, olhe!!!
- Assim???
- Isso, mas passe os dedos.
- E agora???
- É, mais ou menos!
- E agora?
- Melhorou!!!

(A menina novamente abriu um sorriso lindo)

 Resolvi perguntar:

- Ana, sinceramente, não vale mentir:
- Você gosta dele?
- Gosto !!! ( suas bochechas ficaram coradas)
- Muito?
- Claro que sim!!
- E ele, gosta de você?
- Bastante!!
- Ah, então pronto!
- Mas, eu nem sei como me comportar com ele, acho que não sei ser namorada, nós não sabemos namorar sabe?!

- Ana, o beijo, as mãos entrelaçadas, e qualquer outra coisa que faça entender que seja uma relação séria ou não, isto são somente detalhes perto do sentimento, entende?

- Mais ou menos, eu queria ser como os outros casais!
- Nem todos os casais que você vê por ai, se gostam. E tem mais menina: esse "tocar" que você quer aprender, não se preocupe, aprenderá com o tempo, cada um tem seu jeito, sua forma de se tocar, de ser. 

- Ah...acho que eu e o Paulo ...., nós nos tocamos nos olhos e quando também damos risadas, e nós sonhamos um com o outro, porque ele já me contou.

- Poxa, que bommm Ana, nem todos experimentam isto. 

- É...mas, eu acho que ele tá esperando outra coisa de mim! ( uma expressão de dúvida ficou)

- Será? Olhe, eu acho que tudo que ele espera de você, ele já tem, as outras coisas, sabe "as outras" coisas, virão com o tempo. 

- Virão mesmo?!

- Claro que sim. 

- Mas quando?

- Vocês saberão!

- É...( deixou uma risada baixa no canto da boca)
- Hoje vou vê-lo, ele virá na minha casa.

- Que legal!!!!


- Adoro conversar com ele, e também vemos filme. 

- Isso e muito bom, Ana!

- Eu quero dizer que amo ele, mas não sei como dizer.

- Oras...existem várias formas de se expressar ou falar!

- É...mas eu ainda não disse nenhuma?

- Como assim?

- É...nunca disse!

- Ana, às vezes a gente diz sem dizer, a gente faz. Por exemplo, no olhar, na conversa, e tantas outros gestos a mais.


- Ahhh...então, nós dizemos todos os dias, porque eu sempre converso com ele por telefone. 

- Muito bomm, Ana!

- Bem, agora tenho que ir,mas outro dia e volto  e daí você nos conta mais, tudo bem?!

- Legal, claro que conto simmm, de repente até lá já peguei na mão dele!!!!! ( outra risada linda apareceu)

- É...pode ser, Ana!!!

- Vamos aguardar, né??!

-(risos)...vamos!!!!



A metáfora de um câncer

A sua amargura me amarga na porta da sala
e um convite mal feito.
Vives da cor de um cinza. 
Eu já vive e já deixei 
e você?

Veja que é sol.
Veja que é céu
céu azul.

Abre a janela do teu peito 
deixa partir seus partidos 
pra poder preencher de azul o que está negro.

A vida não é só de uma cor. 
E os pássaros cantam lá fora 
e você não escuta e não vê.

Permita outro sabor. 
Permita conhecer o que é vida pulsando
não se enterrar.

Não vivas num caixão 
quando ainda se está vivo.
Não penses em cremar o próprio corpo
quando o seu sangue ainda está quente.

O tumor é uma massa cinzenta que cresce dentro da gente 
o que mata ele não é a cirurgia 
mas o que se passa de bom em nossa mente.

Retira e não tira?
Tire o que não te faz contente.

01 maio, 2014

Sobre aprender

Não me peça para decorar artigos ou decretos-leis
se vier falar de portarias então conte a origem delas.

Não engrandeça o capitalismo
quando você não concorda com as grandes vantagens lucrativas que o plano particular de saúde leva, e nem com a internet que não possui a velocidade disponibilizada que consta em seu, em nosso contrato.

Eu não quero saber sobre "frases" de sistemas difusos de constitucionalidade
eu não posso me ater a isto para dizer que sei alguma coisa, entende?
O que você sabe é tão fragmentado que até para juntar é complicado.

Falta história que nínguém quer contar
Talvez porque perdeu-se o interesse
Talvez porque não tenhamos tempo
Tempo para sermos verdadeiramente competentes.

Nem nos livros eu acho história
O que tem são citações de citações de citações
Falando da mesma lei
Falando da mesma lei
mesma lei,
mesma
lei.

Falando de quem vetou
Falando do Congresso Nacional
Mas, por que vetou? Vetou por quê?
Por que esta lei? Por que não aquela?
O que é lei?
Por favor sem decorebas!

As coisas não são tão concretas como se parecem ser,
concreto é o que você decora sem entender.