Translate

23 março, 2014

O amante do Bukowski - Parte II

Entrou nos melhores cursos das melhores universidades públicas. Namorou mulheres bonitas, interessantes e inteligentes, viajou para os melhores lugares do planeta Terra e ainda viajará, escreve, bebe, transa, pinta e borda, fuma uma, discute, briga, xinga e ama, mas só dá voltas sem destino, sem rumo.

Ele diz pro outro ser mais objetivo quando ele mesmo não é, acha que tudo é muito exato, mas a vida dele é tão complicada, e daí eu fico pensando se ele já se deparou com isto??

Prolixo é o que ele faz com as relações, fala demais, mas não diz nada, tem medo de ficar só, é um tremendo de um carente, apenas. Entra num curso, sai do curso, entra num relacionamento e sai do relacionamento, entra em outro curso e sai do curso, começa outro relacionamento e sai do relacionamento. 

É uma espécie de impulso, empolgação, algo que dura por pouco tempo, tempo suficiente para não completar nada, e o problema francamente não é que os outros pensam, isto é o de menos (dane-se), a questão é o que ele acha, e acontece que se questionado, se irrita facilmente, é motivo pra fugir, pra não ouvir, dói, uma pergunta simples dói, e depois diz que é livre, livre merda nenhuma. Se pergunto o que quer, ele não sabe, mas mesmo assim quer ter sem saber, por quê?


As escolhas que tomamos nem sempre são as mais corretas ou as melhores, e por isso é preciso refletir um pouco antes de convictamente afirmar saber o que não sabe. Dar voltas, dar voltas e dar voltas, se for gostoso, continue, já valeu a pena viver, mas se incomoda, vê se senta na calçada pra sobreviver .

No final das contas, ele escreve tudo o que não foi e tudo o que se foi, no final das contas, é só ele e mais uma dose, como o Bukowski, cerveja se torna então, somente algo amargo na garganta.

16 março, 2014

Mulher, mulher...

Do meu seio já jorrou muito sangue
Se eu deixar minha vagina exploram
Mas não sou depósito de esperma
Nem fui feita pra lavar cuecas.

Não sou um objeto pra você usar
Mandar, calar e descartar
Não sou a única a zelar por este lar
Eu tenho voz e quero falar.

Não adianta se você disser não
Se quiseres pode até retrucar
Se me bateres vou revidar
Tenho músculos, podes apostar.

Se a consciência não chegar até você
Então te esclarecerei argumentando
Se a história não te vieres
Então te apresentarei minhas feridas sem estancas.

Mas tu sabes bem meu amor
Que os fatos nos revelam verdades doloridas
Certas reivindicações nos tiraram a vida
E tantas outras tentaram cortar a nossa língua.

15 março, 2014

Brother


- É pouco amor.
- É muita intriga. 
- Nunca vi dois gostar tanto de briga. 

- Larga disso. 
- Deste ciúme bobo, barato. 
- Pura vaidade. 
- Estraga qualquer final de semana que poderia ser bonito.

- Desligue o telefone. 
- Dê um tempo.
- Olhe o dia, que dia!!!
- Vocês poderiam fazer outra coisa, sabia?

- Não vale a pena discutir besteiras, não vale. 
- O tempo, um presente da vida, sabe?
- Presente que a gente desperdiça porque não abre, porque não vê, porque prefere destruir a construir, e no final são dois machucados, dois separados, destroçados.
- Mas acho que ainda dá tempo de pegar uma sessão no cinema.
- Ligue pra ela, ligue!

Amor, meia noite!


No teu rosto dá pra ver
No teu jeito de falar
Que ainda é cedo pra entrar
Quando é hora de partir
De sair por ai com você.

À maneira como inventa um convite
Uma semana antes e às vezes de repente
Mas não fujo
Eu só não corro
Conversar é perceber contornos no corpo
Detalhes que a grande maioria evita.

Dividir músicas
Canções que até então não conhecia
Colocar uma
Cantar uma
Rir do próprio canto contigo.

Bom mesmo é não saber o que acontece claramente
É simplesmente deixar acontecer.

Num dia chamado agora

...
quando se menos espera
é quando já deixei
de repente tudo muda, tudo vira
flor caí, flor nasce

quando se menos espera
a rua é outra e a casa também
o tempo sabe-se lá o que é
outro tempo
outro sentido e movimento

quando se menos espera
você está noutro lugar
com gente que nem imaginava
mudando planos, rotas
enxergando o que não aguardava

quando se menos espera
parece que você é outro
mas você não é
foi a roupa
foi o banho
foi a desistência
o telefonema
o argumento

foi assim,
nem eu sei explicar.