Translate

04 fevereiro, 2014

VAGALUMES NO CÉU

A vida nos presenteia a todo instante, andando pelas ruas vejo uma flor no concreto, imensamente delicada, observo os contornos, seus detalhes, as cores que vibram de suas folhas junto ao contraste do cimento;  por entre as árvores alguns pássaros que cantarolam para o dia; o cachorro perto de mim abana o rabo; o bebê se diverte com o passageiro e; a brisa chega para espantar o calor. É preciso compreender o sorriso que chega até nós, é necessário enxergá-lo e não, cegá-lo. 

Olhei para o céu agora pouco, infelizmente grande parte dos humanos não olham para cima como deveriam, talvez eles não gostem de presentes celestiais, ou talvez a pressa para responder a mensagem no celular, a pressa para chegar em casa e a pressa para tantas outras coisas, não os deixem efetivamente perceber tamanha riqueza.

Hoje as estrelas resolveram convidar suas amigas- e quantas! Olhei para um canto, olhei para o outro, são tantas, parecem purpurinas que colamos num papel azul escuro, e se fitarmos os olhos nelas, aparecem outras que estavam quase ocultas, o brilho se espalha, vive a magia de quem sabe olhar, não é preciso contos de luar, olhe para cima e veja um outro tipo de lar. Ligo uma ponta prateada a outra ponta iluminada e o céu me cede uma forma, um desenho, e se não bastasse, alguém pintou a lua deste teto mágico, pintou como eu a vestia em minha infância: sempre amarela e com o fundo azul, e assim, tudo isto faz retomar a minha criança.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário