Translate

09 fevereiro, 2014

A VIDA

Queria me pegar de jeito, eu não deixei, não podia, me segurei, controlei, mas ela tentava demais, sim, ficava excitando tudo com aquelas mãos em cada parte de mim, foi difícil negá-la, porém, neguei, parecia frágil em meus braços, mas a verdade é que eu era frágil perto dela.

Um dia destes ela teve a ousadia de vir aqui no meu ap. bater em minha porta, espiei pelo olho mágico, logo vi que era ela- essa maldita, estava lá com aquele vestidinho curto, vermelho, e que pernas, ai meu Deus- que pernas, tinha vontade de acabar com ela ali mesmo, naquele corredor do prédio, hamm....contudo,  o senhor aqui se continha sei lá do que, comecei a tremer, a suar frio, não sabia o que fazer, se abria ou não a porta, se ficava quieto na minha e deixava a campainha tocar, enfim, aqueles segundos tornaram-se eternos e esmagar o meu desejo era pior ainda, mas foi então que aquela "vagabunda" disse assim:

- Bemm....eeee, abre a porta, vamos lá, eu sei que você está ai, garotão!!
- Vamos meu bem, abra, quero te ver será que não entende?

Continuei em silêncio, não sabia o que dizer, estava quase borrando nas cuecas, e aquela voz doce me seduzia cada vez mais, deveria ser a voz do capeta, só poderia ser, tinha vontade de viver tudo aquilo, no entanto, a única coisa que eu sabia fazer naquele instante era ranger os dentes de muita raiva de mim, não conseguia, droga, inferno, cacete, a única coisa que eu fazia era travar ou enroscar em qualquer cena, as coisas aconteciam ali no palco, na minha frente, puta merda, mas eu só saia de cena.

A louca me perturbava a qualquer custo, a qualquer hora, estava chegando o momento de romper, ceder de vez, já não aguentava em mim, pensar nela me fazia arder, me fazia querer, e ela ficava ali batendo na minha porta, me chamando:

- Amor, vamos lá, abre a porta!

Eu tinha vontade de amar ela e ao mesmo tempo matá-la, eu queria morrer, contudo, ela insistia:

- Amor, você não me quer? não responde meus telefonemas, minhas mensagens pelo celular, nem os e-mails, eu venho aqui, te chamo e você fica ai fingindo que não vê, que não ouve? vamos, vamos lá, abre a porta, eu sei que você pode, sei que você quer.

Não aguentei, levantei daquele chão imundo de minha sala, fui até o banheiro, joguei uma água no rosto, olhei bem no espelho, fiquei ali parado pensando e perguntando pro meu eu:

- Você quer ou não quer cara?
- Sim, eu quero ela, quero muito, eu preciso dela em mim, aqui, agora!

Arrumei as calças, ajeitei a camisa um pouco amassada, passei as mãos pelos cabelos, respirei fundo, andei devagar e coloquei a mão na maçaneta da porta, comecei a rodá-la, suava frio a cada movimento que'u fazia, mas eu precisava fazer, era isto ou morte, suicídio. Ao destrancar e abrir, ela me agarrou com tanta força, pulou em mim, sorria intensamente, eu retribuía, mas não da mesma forma, de repente, ela começou a me beijar, dizia que me amava, que me queria, que queria entrar em mim, ficar em mim, e eu, sentia aquilo arrebentar todas as trancas, correntes, ou quase tudo, não aguentava mais este sufoco, agarrei ela ali mesmo na sala, segurei os seus cabelos, era um cheiro tão bom, e aquela pele de pêssego, tocar em sua face, nos seus lábios, nos teus seios, fiquei louco, ela me deixava assim: completamente doido!!

Ela dizia pra'eu relaxar, pra'eu me entregar, foi desabotoando minha camisa bem devagarzinho enquanto dizia coisas em meu ouvido, aqueles sussurros ouriçavam mais ainda, tirou minha camisa, passou a mão pelos meus ombros, aquelas unhas sem ferir causam sensações, arrepios gostosos,e eu, abaixei lentamente o zíper do vestido dela, a puxei para o meu quarto, fomos aos beijos, eram tão quentes que eu quase não chegava ao destino, pedi um momento, ela perguntou:

- O que foi meu amor?
- Espere, preciso pegar a camisinha!
- O quê?
- Sim, querida, preciso pegar a camisinha.
- Não precisa não!
- Por que, você se previne?Toma anticoncepcional ?
- Não!
- Então, vou pegar a camisinha, não tem jeito!
- Não, você não vai amor, vai fazer sem.
- Ficou louca?Bebeu ou o quê?
- Claro que não, pare de se prevenir sempre,pô...será que você chupa bala com o papel da embalagem? tem gosto por acaso? tem?você gosta disto?
- Maluca, você endoideceu , vem aqui na minha porta, insiste, você sabe que eu não aguento, e agora que chegamos no finalmente você simplesmente coloca tudo a perder com esse seu descuido.
- Descuido?pois bem, que seja, eu não me previno mesmo, é impossível se prevenir, será que você não compreende?
- Sai pra lá!
- Vem aqui, quero fazer amor com você, você quer fazer comigo, eu sei que quer.
- Quero, mas assim não dá.

Não teve jeito, aquela doida veio se atirando pra cima de mim, me pegando aos poucos, porém, fiquei tão puto com o que ela disse que a minha ação foi de empurrá-la, acabamos discutindo, ela me deu tapão na cara, bem na cara, ficou um vergão, peguei ela pelos braços, dei uma chacoalhada, chamei ela de louca e ela disse:

- Que é?vai bater em mim? Bate seu covarde, quero ver se você tem coragem de bater em você mesmo, você me nega, mas não entende que nega a ti mesmo, será que não vê seu idiota?
- Vai sua louca, sai daqui !
- Não saio, se quiser saia você.
- Hei, este local é meu, eu moro aqui, sai..., para de encher o meu saco, você me perturba, não entende?
- Olhe meu amor, quem não entende é você, se quiser sair nos tapas comigo, a gente sai, se quiser brigar, a gente briga, se quiser me odiar, me odeie, sim, odeie você mesmo e tudo o que faz, mas se quiser me amar, porra, ame!
- Você viaja, sabia? Que é, tá drogada?
- Como você é ignorante.
- Ignorante nada, vai... se veste logo.
-Não.Vou ficar do jeito que estou, quase nua!
- Ah quer saber, fique ai.
- Tá bem, meu bem!

Ela além de tudo é sarcástica, acho que gosta de me ver assim, ela gosta de me irritar, provocar, faz de propósito pra se sentir bem, eu sou um estupido mesmo, como fui cair nesta? Hamm....ainda me vem com essas ideias de gírico, é louca mesmo, só pode, como assim não se prevenir? Imagine só uma gravidez indesejada? uma doença venérea, me deus, eu sou um idiota, e o pior é que a quero muito, mas deste jeito não tem condição, e ainda me vem fazer comparações com a embalagem do papel de bala, ela só pode ter perdido o juízo.

- Amor, vem aqui, tô no quarto te esperando, vem logo, se quiser a gente fica quietinho, mas tem que ser aqui, pare de fugir.

Ai droga, eu não deveria ter aberto a maldita da porta, aliás, eu vou me mudar daqui, não quero vê-la nunca mais.

- Amor, será que eu vou ter que ir ai?não quero ficar assim!
- Me deixe, quero ficar sozinho.
- Ai credo, eu só queria que ficasse aqui, comigo, contigo mesmo, vemm...

Não vou responder, ela que fale sozinha.

- Vem amor, não quer uma massagem? Vem conversar comigo?
- Amor...

- Cala boca, eu não quero falar com você, vai embora daqui, some da minha vida!

Hamm...ela levantou, pelos barulhos dos passos acho que está está irritada, vai discutir comigo de novo e depois certamente vai embora, ainda bem, não dá, isto me mata.

- O que você disse?

- Isso mesmo que ouviu, não quero falar com você, vai embora!

- Como você é esperto né, acha mesmo que eu vou, escuta aqui, você sabe ao menos quem eu sou de verdade??

- Você? Bem, deve ser qualquer uma que dá pra qualquer um, louca por sexo, que não se previne, aquela que vai pra cama a qualquer momento com qualquer pessoa, que se insinua, ousada demais, você é ridícula. 

- Ahh...é, sou tudo isto mesmo? é por isto que eu não saio de sua porta não é? mas vamos lá espertalhão, o que mais eu sou em?

- Você não presta, só me fez mal, só me faz mal.

- Ah é??Tenho um solução pra você!

- Qual?que seja qualquer uma para não te ver nunca mais.

- Então, se mate!

- Tô quase, sabia?

- Vou perguntar mais uma vez: -Você sabe quem eu sou?

- Ai, chega, não tô a fim, vai embora.

- Só vou te falar um coisa, se eu for embora, você vai também, eu não uso camisinha mesmo, não faço tabelinha, não me alimento de coitos interrompidos como você às vezes faz, não utilizo anticoncepcional e nem pílula do dia seguinte e sabe por quê?

- Ah...tanto faz!

- Eu não evito o que é inevitável, me machuco mesmo e dai?eu vou me machucar, eu me frustro, me iludo, acordo, caiu, levanto, eu vou, eu faço, tento, e olhe você o que faz de tua vida, quando não percebes que eu sou a sua própria vida!

- Haha, sem dramas por favor, a vida é minha e eu faço o que eu quiser!

- Será que a vida é sua?oras se a única coisa que você faz é não vivê-la, preste atenção!

- Vai emboraaaa!!!

- Eu não preciso ir se você não vive, eu já fui!





Nenhum comentário:

Postar um comentário