Translate

07 dezembro, 2013

GIZ PASTEL SECO


Giz pastel

Nas folhas de canson

Desenhos que emitem sons

Contornam os dedos do coração
 

O toque

Grave

E suave

Da expressão do rosto


A margem feita de um abraço
 
Na calçada do jardim da minha casa

Não cimentada, é claro.


Giz pastel
 
Criou uma árvore

Um balanço

Uma cabana perto do lago sul

E fez ver

Bichos no mato 

Frutas caídas
Gente na rede             
Comendo uva 
 
Ah giz pastel
O senhor é um mago?
O que és?
Parece varinha na mão de alguém
Ou o pó que constrói magia no papel.
 
Ah...meu giz pastel !
 
 


" Vila Rica "

 
 
 

Bolhas de sabão

Transportam alegria

De uma tarde

Com a família.


Vira uma canção

Daqueles que compartilham

A torta da vó

Do sabor de baunilha.


Já a criançada na empolgação

Abre o armário

Revira tudo

Pra fazer bagunça com vasilha.


Enquanto as tias conversam

Sobre superstição

Se comer ou não

No final do ano a tal da lentilha.


Os tios disputam

Fazem apostas do Coringão

Dai a harmonia cede espaço

Para uma tarde já não tranquila.


E há quem coloque um musição

Pra brincar, brindar, festejar

A união de parentes e amigos

Na festa desta vila.


06 dezembro, 2013

Clarão

A energia desta pureza

É uma luz

Que rodopia em minha cabeça

Lilás

Azul

Crescente pela força da natureza.

MISTÉRIO

Gosto do segredo

Do sagrado

Do insano

Do secreto

Do discreto


O ousado camuflado
O vermelho apagado
O olhar disfarçado


Gosto do sorriso nos lábios

De sacana

De ingênuo

De esperto come quieto


O esconderijo infiltrado
O movimento
O detalhe
O jeito como observa


Gosto da interrogação na sobrancelha 
De dizer quase tudo
E querer quase nada

Aprecio a dúvida 
A descoberta 
E o semiaberto

O que tem embaixo disto?

O que está atrás da porta?

04 dezembro, 2013

Vitral Colorido


Comentário:
 
Saudade é uma palavra abstrata que inventaram impossível de traduzir, não tem como defini-la , é uma sentimento tão intenso , colocamos palavras e mais palavras e mesmo assim é inevitável . Por quê?

Não adianta forçar a mente , o dicionário , o google ou os grandes autores que escreveram a respeito dela,  não encontramos meio de transpor todo este "sentir" , que às vezes parece inesgotável, ao ponto de deixar-nos loucos, aflitos, mortos de tanta "solitatis" , que contamos os segundos, minutos, ou então ficamos a imaginar aquela cena a qual aconteceu ou poderia ter acontecido, e até isto existe: - saudades do que ainda não existe . Pode uma coisa destas?

Sentirei saudades de nossas conversas , aquelas já existentes , as que estão por vir e de outras que nunca virão!!!

ResponderExcluir 


(erro de atualização, texto postado no ano de 2012)

Sexta-feira 13

 
Treze tentativas de homicídio 
mais
Outros treze suicídios.

Treze vidas cortadas 
Multiplicado por treze
Junto ao nazismo .

Treze enfermos no leito de morte
 Para treze médicos em declínio.

Treze dores presas aos pesadelos 
Com treze pessoas a gritarem de medo.

Treze em algarismo romano tatuado no peito
Para treze vítimas em desespero.

Treze filmes de terror assistidos
Em treze dias de horror consecutivos.

Treze línguas do mal 
Para treze políticos farsantes a fingirem diplomacia.

Treze derrotas da fala
mais 
Treze impunidades não justificadas .

Treze vícios amargos 
Interligados a treze vínculos constantes.

Treze psicopatas em série 
A disputarem treze canais de rede tv em manchetes.

Treze elevado ao número treze
Igual a quantidade de famílias abandonadas,
Em contraste aos treze aumento de impostos  
A cada treze horas.

Treze broncas engolidas 
Com treze torturas compridas.

"Sexta-feira treze
Ame-a ou deixe-a"
 
 
 
 
(erro de atualização, texto postado no ano de 2012)


Palavras-Palavrear-Palavreando

Palavras remetem
Escolhem e vestem
Palavras pertencem
As palmas e plumas da vida
Palavras contidas
Expressão linguagens reprimidas
Palavras expostas por livros e índios
Línguas , dialetos , labirintos
Palavras que trago
Do porão guardadas.
Palavras que mostram
Primórdios debates.
Palavras aquietam
Silenciam a alma
Palavras riem
Expressão e deprimem
Palavras , palavras
Maravilhas!


(erro de atualização, texto postado no ano de 2012)

"G E M A"

 
- O que ela faz exceto escrever?
Lembrei de Dona Tereza - Senhora dos quadros , ambas com fisionomias parecidas , tanto que cheguei a pensar que fossem a mesma pessoa.

- Equivoquei-me !

Tereza em seus desenhos e pinturas deixa magia , encanto , beleza. E Gema em teus escritos aprofunda verdade e doçura , ternura , que ao lê-los sinto uma forte paz , acalma.
- Por que será?
- Sensação de conhecê-la de algum lugar.

Comprei um quadro de dona Tereza há mais de um ano , escolhi a paisagem , modifiquei e mandei pintá-lo para alguém o qual jamais ousou entender o real sentido.
As vezes recordo deste quadro - grande , moldura grossa e pesada . Trouxe nos meus braços , machuquei-os , mas , o sentido também fora de calmaria.

" Agora Gema
  Faz pintura para todos
  Com os teus poemas".

Tive a impressão que escrevera para mim , porém , não sabe de minha existência . Foi egoísmo meu , neles estão muitas partes do mundo. Visito as palavras dela sempre que possível , pois causam alegria.


(erro de atualização, texto postado no ano de 2012)

Resposta



Que haja vento,
Que neste vento, haja um escape,
Que neste escape encontre um firmamento,
Que neste firmamento encontre um pássaro,
Que este pássaro encontre fuga,
Que nesta fuga ele encontre a saída,
Que nesta saída haja luz
Para uma menina que o conduz !!
 
 
(erro de atualização, texto postado no ano de 2012)

Diz Léxico Fonema

Diz torce
Diz contínuo
Diz inflama
Diz contorce

Diz atrito
Diz mente
Diz compasso
Diz contente

Diz peço
Diz digo
Diz membro
Diz cuido

Diz simulado
Diz entendido
Diz causa
Diz encontro

Diz inibido
Diz traido
Diz leal
Diz astuto

Diz proporcional
Diz esperado
Diz gosto
Diz forma


Diz elegante
Diz respeito
Diz conduta
Diz mascarado

Diz aprender
Diz pretensão
Diz vantagem
Diz merecer

Diz carregar
Diz ligar
Diz ânimo
Diz apegar

Diz empatar
Diz por
Diz crer
Diz prevalecer

Diz marcar
Diz perto
Diz vinculado
Diz prazer

Diz consertar
Diz pedir
Diz procriar
Diz amamentar

Diz puta
Diz atenta
Diz apagou
Diz emprego

Diz montar
Diz farsante
Diz matar
Diz incriminar

Diz cobrir
Diz afogar
Diz crescente
Diz solvente

Diz colar
Diz cortar
Diz bancar
Diz figurar

Diz trocar
Diz implante
Diz prender
Diz confiança

Diz disse
Diz conto
Diz proteger
Diz arvorado

Diz equilíbrio
Diz embaralhar
Diz graça
Diz maio

Diz preparado
Diz igualdade
Diz encantar
Diz amor.



(erro de atualização, texto postado no ano de 2012)

Teimosia

 
Enquanto os meus óculos não chegam
Eu ando devagar
Desejo de rimar
Sem destino para chegar

Enquanto os meus óculos não chegam 
Eu não posso detalhar 
Não tem como esmiuçar 
O que faço é escutar 

Enquanto os meus óculos não chegam 
Eu morro de vergonha
Confundo o local
Com outra cerimônia 

Enquanto os meus óculos não chegam 
Eu disfarço enxergar
Na persistência de tentar
Eu caio no azar.


(erro de atualização, texto postado no ano de 2012)

03 dezembro, 2013

Receita-se

Não,

Não escreve só a tristeza 
Não é sempre desta que se compõe a beleza.

O sorriso também transcreve palavras
Os momentos bons vivem repletos de licença poética 
E até ousamos tamanha metáfora para expressar a nossa imensa felicidade,
ainda que esta seja passageira.

É quase sempre assim,
O leva e traz
O vai e volta.

Bonito mesmo 
é enxergar a beleza de cada etapa.

Do riso ao choro infeliz
Da gargalhada a uma cicatriz 
Do carinho a uma palavra maldita.


Verdade,

O inverno com o seu concreto constrói edifícios belos,
mas não é por isso que a primavera não deva ser celebrada.

Que rabisquem os poemas as flores também,
Que sejam declamados os seus frutos. 

"Recite-se o que faz bem".





Adicionar legenda




02 dezembro, 2013

Segunda-feira de equinócios e solstícios


Estico os braços

Alongo as pernas


Desperto !!!


Dia de todas as estações ...


Em mim prosas e desajustes

Em mim poesias e romances


Sol e chuva

Calor de uma tarde imensa

Refresco de uma brisa com versos.



01 dezembro, 2013

PURO


O melhor do amor

É não morrer por ele

Não viciar-se nele

Deixa-lo solto


Para cantar em outros cantos

Para descobrir novos bandos

E encantos.


O melhor do amor

É não insistir quando não se quer

É dizer a verdade mesmo se doer

É precisa partir quando não se acabou.


O melhor do amor

É amar

Amar sem ter

Porque não precisa ter para amar

Amor não se tem, se dá.


Não, não é a falta de emoção

Pois o rio quando transborda sempre deixa algum estrago

Mas, depois fica calmo

E daí, por certos acontecimentos

Você percebe a força e o tamanho que ele tem.


E descobre que amar

É apesar de tudo

Querer bem.


Sem precisar feitiço

Sem precisar pressa

Sem precisar forçar

Sem precisar disputa

Sem precisar nada

Somente, amar.

O AMANTE DO BUKOWSKI

Trepar, comer e foder

Caos no mundo

Amor não correspondido

Problemas na família

Paisagens, mulheres e viagens

Beber e beber

Sim, cerveja

Mas você veja

Estas são as palavras chaves

Dos textos daquele cara

Cara estranho

Divertido, sarcástico

e

Um belo de um filho da puta

Sim, filho da puta como ele mesmo disse

Porque toda vez que marcava um encontro consigo mesmo

Ele não ia

Nunca dava certo

O carro enguiçava

As avenidas ficavam interditadas

Dava enchente , tiroteio

E até gente morta

Outras ficavam  feridas ou machucadas

Assim como ele e suas cicatrizes

Mas disfarçava bem em suas gargalhadas

E o que se passava era muito além do que a última transa

ou a partida de ex-namoradas

A verdade era o vazio

Completo vazio

Que ele tentava compreender

Que ele tentava preencher

Mas quem sabe num dia desses

De repente

Ele vire a página de vez

E se encontre para se perder

E se perca para se encontrar.

RECAPITULANDO

  
T e m p o
Tempo de arrumar o quarto quando me sobra tempo
De olhar o meu templo
Contemplá-lo
Limpar.
 
T e m p o
Tempo de abrir o guarda-roupa
Separar algumas peças
Tecidos costurados
Que já não me servem mais
Que já não me vestem mais
Porque estão largos e outros apertados.
 
T e m p o
Tempo pra ver o que têm nas gavetas
Ler cartas - e quantas
Reviver fotografias
Achar um livro perdido e uma caneta sem tampa.
 
T e m p o
Tempo de tirar a poeira
Varrer a sujeira
Colorir as paredes
Colocar alguns quadros
E abrir a janela.
 
Sim, a janela do meu quarto.
T e m p o.

04 fevereiro, 2013

Caminhos

A vida é repleta de mistérios
Com os seus sabores
Nem sempre decifráveis 

Que comporta outras vidas 
E abre as portas  para novas vindas
E convida depois das idas
Para  ver o Sol do nosso meio dia 

Eu percebo que a vida é uma partida
Feita de instantes por idas e vindas



E a etapa de hoje que fala comigo 

E ainda narra contigo 


Deixa histórias e cria oportunidades
Que até então nós desconhecíamos .




PP


Ela ficou com uma camisa apertada por cinco anos  , encolhia a barriga , prendia o ar . Fazia tudo para que ficasse perfeito ,   aliás – para que parecesse perfeito . Todos que viam Clara com aquela blusa azul , achavam que ficava formidável para a moça , porém , mal sabiam eles dos sacrifícios que a garota fazia .

Chegou a fazer regime , mas mesmo assim não adiantou , também procurou por outra camisa igual , contudo, já não existia uma apropriada para o seu tamanho , o problema maior é que Clara ao olhar-se no espelho não se sentia bela com a tal vestimenta , entretanto , para ela era necessário a aprovação dos  outros . Uma espécie de autoafirmação que não afirmava o que ela pensava a respeito de si mesma .

- Que pena !

03 fevereiro, 2013

O TAMANHO DA SUA FELICIDADE


- Em que local ela se esconde?


- De que forma ela se mostra ?

Tenho que concordar com o Bauman – é verdade : “ o aumento do PNB não é sinônimo de uma vida feliz “ .


- E não é mesmo !


- Por que consumimos?  É claro que é preciso alimentar-se, vestir-se, calçar-se . E o que mais é preciso? Por que é necessário ter um carro zero? E se eu optar em não ter automóvel algum? Por que eu preciso de silicone quando estou satisfeita com os meus seios? Por que eu preciso pesar 50 kg quando gosto dos meus 60?


Um, dois, três, ..., quinze pares  de sapatos a mais , um, dois, ..., quatro carros novos na garagem, e mais o lançamento do último celular no mercado. Será que é possível chamar isto de alegria? 

Pelo que observo, na maioria das vezes, tenta-se frustradamente comprar o que não se pode, logo, o que resulta é um enganação do que acredita ser, ter, no entanto, não ter e nem ser.

Por que comprar compulsoriamente? O que de fato está sendo substituído? Aliás o que se tenta substituir? 

Engraçado e estranho porque já foram feitas várias pesquisas e os países mais ricos do mundo são também os mais infelizes. Não estou dizendo com isto que os pobres sejam felizes, pois não acredito que miséria e pobreza sejam algum bem estar, mas isto significa que a verdadeira felicidade vai muito mais além da classe social a qual você pertence ou dos bens materiais que você têm.

Recordei de alguns passeios que às vezes eu fazia na zona Oeste de São Paulo, próximo de Pirituba. Neste lugar existem vários condomínios fechados  e tantos outros que não são fechados, mas mesmo assim são elitizados, e lembro-me muito bem de um belo parque , a grama limpinha e um lindo rio, as casas - melhor, as mansões - de cores formidáveis e arquiteturas fantásticas estavam mortas, quase que enterradas, não possuíam vida, com exceção das cores , contudo, o que são das cores sem as pessoas? sem as famílias?
Naquele lugar encantador não tinha ninguém, a não ser  empregados domésticos que não utilizavam as piscinas dos seus patrões e muito menos dirigiam as suas Mercedes. Não tinha um latido de um cachorro, não existia o sorriso e as gargalhadas de pelo menos uma criança num domingo à tarde. Nunca vi uma pessoa daquele local sentada na grama ou observando a bela paisagem e o rio a passar, muito menos alguém aparecer na janela da própria casa, porque todas eram fechadas, aquilo parecia um cemitério de mansões, ao mesmo tempo bonito e assustador.
Logo fiquei a questionar por que viver em uma lugar assim? Por que construir um castelo se ao menos irei residir nele? Se é que preciso de um castelo para a minha felicidade, ainda que fosse, então, porque estas pessoas nunca demonstraram realmente amar suas escolhas, mas em contra partida pronunciam com a boca cheia aquilo que possuem materialmente, como se isto fosse um enorme êxito de alegria ou felicidade(?).

A verdade é que a “compra destas ações”, posturas e padrões são descartáveis, caros e ao mesmo tempo baratos demais. Eu posso ter um carro, ter uma casa ainda que não seja uma mansão, ser economicamente bem sucedida , ser a mulher mais bonita e desejada da festa e isto não significar o sorriso estampado na minha alma , porque na verdade nada disto é felicidade, é uma ilusão em que as pessoas preferem não se dar conta e quando começam a perceber retomam o mesmo movimento de consumir para suprir a falta do que ser quer, e “sempre” aquilo que se quer mais , não tem preço .

E se de repente neste jeito distorcido no qual vivemos for preciso até mesmo pagar por um abraço , prefiro à morte .


DONA MARIA


Mas acontece que um dia tudo muda sem sentido 
E na esquina da tua casa eu encontro outro abrigo . 

Um inglês me chamou pra cantar e eu aceitei 
Tua mãe me ligou de manhã pra brigar e eu sai 
Agora danço na rua 
Sinto a brisa que me leva e balança 
Chega de lamentar o que não dava certo 
Quero mais é que o raio parta aqui perto 
Pra partir em quatro o que estava em dois 
Pois que ando na pressa de ver outro ares 
A distancia é a amiga que eu não percebi
O amor já vai tarde 
E eu quero que ele suma 
De hoje em diante eu olho é pra mim .

Mas acontece que um dia tudo muda sem sentido 
E na esquina da tua casa eu encontro outro abrigo .

RECEITA PARA O AMOR


100 xícaras de conversa
5 pitadas de ironia de sal a gosto
20  tabletes de paciência
1 lata de fermento
60 colheres de sobremesa de carinho
500 gramas de briga
½ copo inglês de ciúmes
3 ovos de indiferença
400 ml de óleo de massagem ou corporal
120 beijinhos
1 litro de compreensão
35 passeios de mãos dadas
10 tipos de oposições
15 taças de afinidades


MODO DE PREPARO :

De início será utilizado apenas 1 tablete de paciência que misturado a massa parecerá não existir, mais ½ lata de fermento para agilizar o processo de empolgação a paixão, 30 xícaras de conversa, 2 ovos de indiferença, 50 beijinhos, 20 passeios de mãos dadas, 100 gramas de briga, 25 colheres de sobremesa de carinho, 150 ml de óleo de massagem e 100 ml de compreensão. Bata todos estes ingredientes juntos no liquidificador em velocidade máxima por tempo indeterminado, assim que perceber a homogeneidade da massa, deverá transferi-la para a batedeira e adicionar lentamente os demais ingredientes numa velocidade baixa, devo informar que ¼ de cada tablete de paciência mais 1 colher de fermento, terá que ser colocada a cada estação do ano para dar consistência ao amor. Depois que todos os produtos estiverem misturados e a massa encontrar-se no ponto exato, deverá ser transferida para uma assadeira grande, cuidado com o tamanho da forma, deve conter espaço suficiente para a massa conseguir crescer sem transbordar. A temperatura não poderá ser constante, será preciso alternar entre fogo baixo, médio e alto, esta é uma maneira de não deixar a massa crua por dentro e tão pouco queimada por fora .


Ao  retirar a assadeira do forno, não retire o amor e nem o coma depressa para ele não desmanchar!

Divindade



A luz presente não aprisiona

Transforma o passo

Envolve

Pede calmamente um abraço

E conduz os meus braços

A dança dos raios solares

Mostra-me a entrada para outra vida


O Uni-verso .

28 janeiro, 2013

AO PACIENTE


Os tratamentos médicos não precisam ser tristes

Podem ser menos doloridos
E mais coloridos

A quimioterapia fica pra outro dia
Hoje tem uma música
Uma canção que você não escutou

Vamos usar outros remédios mais saudáveis
Olhe a letra desta composição
Eu sei – eu disse que você não conhecia !

- Então ?

Não limite-se
Desligue este programa de rádio
Pai Nosso e Ave Maria é pra depois

Após o som abrir a porta dos ouvidos
E o seu cérebro captar a interpretação
Fazendo com que chegue até o coração
As correntes sanguíneas se alegrarão
E deixarão tal substância combater
Sem destruir as células da vida .






26 janeiro, 2013

CENÁRIO


Quantas histórias cabem no mesmo espaço?
É o casal apaixonado ;
É a menina que reclama do namorado ;
É o garçom que serve a galera ;
São as mulheres que vão ao banheiro ;
É um cigarro que é tragado ;
Um vinho degustado ;
Uma música tocada ;
O encontro entre amigos ;
A briga feia que existiu em casa ;
Os olhares que se procuram ;
O flerte mal dado ;
Um charme do estrangeiro ;
O celular que vibra ;
A porção de fritas que chega ;
A garota que não desconecta do facebook ;
Outra rodada de chopp ;
A preocupação com o novo emprego ;
As novidades da semana ;
O estresse do dia ;
O rosto emburrado ;
O ciúme passageiro ;
A viagem feita ;
A briga com o chefe ;
A notícia do jornal ;
O último filme no cinema ;
O velório do seu vizinho ;
O beijo roubado daquele desconhecido ;
Um grito ;
Um palavrão alto ;
Um tapa na cara ;
Um senhor que dança jazz ;
A cruzada de pernas de uma mulher ;
O bêbado alegre ;
O choro do carente ;
Alguém ausente ;
As risadas de uma piada bem contada;
A mente em outro lugar ;
Um rapaz observador ;
O decote do vestido ;
Uma senhora com seu amante ;
Pessoas que encenam uma peça ;
O baterista que se atrasa ;
A conversa sobre filosofia ;
Questões com o misticismo ;
Um quadro comprado ;
Uma moça com sono
E um texto mal escrito .

17 janeiro, 2013


Nem sempre a tinta que usamos para COLORIR nossas paredes agradam os demais ou chamam a devida atenção dos outros , às vezes a marca nem é tão boa assim , mas a sensação de pintar é fantástica !




11 janeiro, 2013

Cabe ao tempo passagens e paisagens de todos os momentos
Peço as horas que freiem os dias
Para amadurecem devagar com os minutos os meus pensamentos

Pois hoje estou leve
E ainda no balanço do mar perpetuo
Em ritmo lento segue a correnteza

Desacelero todos os meus planos
Deixo para o amanhã novas escolhas
Sinto o flutuar do meu corpo sobre as águas

O calor evapora sensações inquietantes
As ondas batem peito a dentro
Com o sal limpam sentimentos

Às tardes movimentam frases calmas
E às noites ficam em silêncio
Para ouvirem o nascer de ternos batimentos .


As coisas tristes não deveriam ser bonitas
Ainda que escritas
Mas elas são .

Porque as coisas tristes
Antes de serem tristes eram bonitas
E portanto
Não são memórias em vão .




A CULPA É DE QUEM ?


Ele queria um cachorro . Sim , um cachorro , ficava empolgado só de imaginar  o seu novo companheiro , inclusive Vitor já havia encontrado um nome para o animalzinho , na verdade estava em dúvida , não sabia se chamava-o por Sam ou Shan , mas isto não era o mais importante , ele queria mesmo era abraçar o seu cãozinho , correr pela praça , escutar seus latidos . O Sam ou Shan seria um labrador de pelagem preta , assim , era o amigo divertido que Vitor buscava , porém , acontece que o encontro não aconteceu , logo que chegou a loja para comprar e levar o companheirinho , acabou por encontrar um passarinho cantarolando sozinho , mesmo assim , o menino aguardava pelo incrível Sam ou Shan que fora vendido algumas horas antes , triste , ele aceitou o tal cantor de asas pequenas e coloridas .
Chegando em casa o moleque percebeu que aquela casinha de cachorro deveria ser uma gaiola , e também não seria possível ver o seu novo animal de estimação abanando o rabo , pegando a bolinha para o dono , correndo e estragando todo o jardim , latindo feito um estabanado , porque ele era um pássaro que apenas sabia cantar e mais ou menos voar , e com o decorrer dos dias Vitor ficou irritado , nem nome deu ao passarinho , nem comida , nem água e muito menos amor .
O encanto era como um brinquedo que o pai compra e com o tempo perde a graça , mas , alguns brinquedos as crianças não esperam , não querem , então , eles ficam lá mofando , quando poderia ser dado para uma outra pessoa que saiba brincar , contudo , o desdenhado amigo não era uma vitrola ou um brinquedo de dar corda , qualquer plástico ou qualquer bola que se chute .
Quando a mãe de Vitor não fazia os seus pratos preferidos ele emburrava , resmungava , chorava , mas , comia o que tinha , mesmo porque o alimento vai para o estômago e o resto fica fácil de deduzir , porém , e o passarinho , que culpa tinha de não ser um cachorro ?
Depois de um mês , o pássaro estava fraco , muito pouco alimentado , muito mal tratado , numa gaiola imunda e trancada de sentimentos porque o dono quis assim .
- Cantar ?
 Não tinha mais canto , foram somente nos primeiros dias ! Emoção é uma coisa que consome a vida , ou ela desanima e te mata , ou ela preenche de alegria as horas e vontades do seu dia .
Emoção com desânimo não combinam , de início não era assim , pelo menos para o pássaro , pois o garoto ao receber a notícia ficou insatisfeito e deixou insatisfeito aquele que agradava , não ao Vitor , mas aos outros .
Os pais do menino tentaram convencê-lo de devolver o passarinho ou a doá-lo para o vizinho , contudo , ele não queria , falava que começaria a tratar bem o seu amiguinho , entretanto , puxava as penas do pequenino e ainda atirava pedrinhas para feri-lo , o que pretendia mesmo era vingar-se do pobre coitado , já que não conseguiu o seu cachorrinho .
O pássaro ao ver o garoto ficava desesperado , não entendia o porque dos ataques com aquele que nenhum tipo de perigo oferecia , até que um dia Vitor não satisfeito , pois a fúria o consumia , acertou uma pedra maior na cabeça daquela ave , e desta vez ela não aguentou .
O menino foi repreendido pelos pais , e o cachorro ?
- Ah , certamente não teria um agora , se ele não sabe cuidar de um pássaro , não saberá cuidar de um cão e de nada  além de seus próprios caprichos que às vezes levam a própria destruição .
A raiva do menino contínuo e desta vez ainda maior .
- Adiantou ?