Translate

20 novembro, 2012

 

Das vezes que pedi                           
Que fosses embora
Partisses daqui
Para trazer vida nova
Ah !  Hoje quero que fiques
Que o tempo é curto
Faça os minutos pararem
Enquanto olho para mim
E reconheço o que sou
E o que nunca fui
Descubro-me em poucas horas
Para perder-me em minutos
Porque sou assim
Uma  sintonia desafinada
Ordem e bagunça
Feito personalidade
O que vejo no espelho
É um corpo que fala
É preciso muito mais do que só enxergar 

Me perdi !
E confesso que sem saída
Acabo por encontrar solução
Pois em confusão  estou
E a resposta é esta investigação
Que não terá fim
Enquanto penso
Enquanto o tempo passa
Enquanto vivo
Sobrevivo as minhas questões
Mas não deixo de perguntar
E cutucar
Ficam feridas
Vejo cicatrizes
Tenho marcas que não são vistas
Apenas sentidas
Sou o que faz sentir
O que inflama
O que menti
Sou um conhecido que desconhece o próprio ser
Um silêncio que causa tumulto
A cada amanhecer .





Nenhum comentário:

Postar um comentário