Translate

29 outubro, 2012

"CAMÕES"


MINHA PRIMEIRA POESIA NÃO TINHA RIMA
A SEGUNDA FICOU SEM CLIMA
E A TERCEIRA SAIU DA LINHA

MEUS VERSOS DESAJUSTADOS
CONTINUARAM TODOS APAGADOS
POR VIVEREM ATROPELADOS

ERA PARA SER UM SONETO
COM DOIS QUARTETOS E DOIS TERCETOS
MAS ELE NÃO TEVE CONSERTO

AS ESTROFES EXTRAPOLADAS
MAIS  SONORIDADES EMBRIAGADAS
QUE VIVIAM ENAMORADAS

NÃO DEIXARAM QUE MINHA ESCRITA
FOSSE UM CARTÃO DE VISITA
O QUE TORNOU UMA SUSPEITA

ENTENDER QUE EU NÃO CONSEGUIA
SEGUIR A FORMA QUE EU QUERIA
E ASSIM FICAVA EM AGONIA

AS SÍLABAS MÉTRICAS NÃO RESPEITAVAM
OS DECASSIÍLABOS NÃO CHEGAVAM
PARA ACOMPANHAR OS QUE FALTAVAM

O DESAFIO DESPERTOU O CONFIM
TENTOU TRANSFORMAR FOLHA EM CETIM
AO SOM DO BANDOLIM

FRUSTEI ENXERGAR
QUE  APRENDER ÀS VEZES É DEVAGAR
ACABEI POR ME AFOGAR

O QUARTO POEMA ESTÁ NO MAR .



Um comentário:

  1. Nandoca!
    Passou um tufão na vila dos ricos? Ahhahaha...
    Nossa que texto supinpa! Adorei, tem como resgatar este que foi parar no mar por gentileza?
    Fico no aguardo...

    ResponderExcluir