Translate

11 maio, 2012

Metáforas

 
As rodas gigantes
Giravam com as ondas do mar
Como pneus de bicicleta
Corriam para os braços do vento
Transformavam monumentos
Em sopros de amor.
A brisa juntava areia
Formava poeira nos olhos da flor
As águas carregadas de sal
Ardiam as feridas que o tempo marcou
O sol registrou as chuvas
E pegadas no chão da praia deixou
Correntezas amarravam os corpos
Faziam à força o interior falar
À tarde a maré trazia
Mormaços dos dia
Para a cura da dor
Gaivotas felizes diziam
Que os peixes voltariam
Feito rodas a alimentarem a boca do céu
E há quem jurava
Ver as bicicletas nadarem
Na trilha do mar.

Um comentário:

  1. Olá Fernanda,
    gostei do teu poema ficou um charme querida dama.
    Beijos.

    ResponderExcluir